Sem categoria

Penny Dreadful | 3×04 (c/ spoilers)

    Penny Dreadful é uma série de terror com toques sobrenaturais que se passa na cidade de Londres na época vitoriana. A história conta com personagens clássicos da literatura como Frankenstein, Conde Drácula e Dorian Gray, e seus contos de horror, origem e formação se misturam à narrativa dos protagonistas. A série é estrelada pelos atores Josh Hartnett e Eva Green, e conta com Sam Mendes como produtor executivo da atração. Penny Dreadful é a aposta do canal Showtime no gênero do terror e do suspense, e tem uma abordagem psicossexual da trama de monstros, criaturas e demônios.
   Acompanho Penny desde o começo, e posso afirmar que o terceiro ano da série é de longe o melhor. Desde o cenário, as interpretações, a diálogos profundos. Penny Deadful deixou de ser apenas uma série de horror sobrenatural, mas passou a ser algo dramático, intenso, e bem construído. 
   Um clássico.
   Uma verdadeira obra prima.

  
   É difícil não se envolver com todo o passado, presente e futuro da protagonista Vanessa Ives (Eva Green). E a maneira como a série explora a vida dela é impecável, mais ainda, é a interpretação sobre humana e incrível da atriz. A atuação de Eva Green te prende, te cativa e acima de tudo te dar calafrios. É impossível desviar os olhos dela, e de toda a cena que se passa na tela. Arrisco dizer, que não existe outra atriz que poderia interpretar tal papel com tamanha destreza e veracidade apresentada por Eva. A profundidade que ela traz a cena e a personagem é indiscutivelmente real.
   O quarto episódio começa de onde o terceiro terminou, com Vanessa no sanatório, e dessa vez é mostrado a nós o que ela passou dentro daquele quarto branco. O que mais me agradou, foi o fato de que apesar de sabermos de que se trata de um memória reprimida, o quão disso é verídico? Estamos de fato presenciando uma memória ou estamos apenas entrando na mente distorcida dela? Mas apesar da dúvida bem colocada, é quase dispensável diante da absurda perfeição que é esse episódio. 
   Seja na primeira ou segunda temporada, onde cada uma apresentou um episódio inteiramente dedicado e focado na vida de srta. Ives, já é esperado que na terceira temporada houvesse mais um episódio sobre ela á altura. A impressão que temos é que nunca chegaremos a conhecer de fato todos os horrores vividos por ela. O que abre um leque de opções para o futuro da série, se usado e explorado de forma sábia.
   Nesse episódio temos também, o ator Rory Kinnear (John – Monstro de Frankenstein), que na sua vida anterior a Morte, trabalhava nesse mesmo sanatório, o que pra mim foi algo de tamanha inteligência dos produtores, que chega a chocar e emocionar ao vermos que a ligação de Vanessa e John vem de outra vida, outro tempo. A relação dos dois nesse sanatório é bela, é humana, é afetivamente verdadeira mesmo diante da situação.

   Um dos momentos altos desse episódio, é o encontro entre ela, Lucifér e Drácula, e pra mim também o mais esperado, já que é a partir daí que entendemos com mais clareza o por que do interesse deles por ela. É então que ela toma o controle da situação e mostra que apesar do momento de fraqueza, ela é forte. E pode contra eles.
   Mas apesar da boa introdução ao personagem tão aguardado, Drácula. Devo dizer que a escolha do ator me decepcionou um pouco, por seguir o estereótipo tão batido tanto nos cinema quanto nas séries. Mas ainda no quarto episódio, poderá haver quem sabe algumas surpresas (por favor), quanto ao ator. Afinal, as participações dele foram poucas e há toda uma história a ser contada  a frente.


Comente aqui!!!!