Sem categoria

REVIEW| Manifest 1° Temporada (C/Spoilers) – Fascinante, Confusa e Imperdível!

Manifest foi uma das maiores surpresas para mim em 2018. Não esperava nada quando vi o trailer ou sinopse, mas quando assisti o piloto fiquei imediatamente fisgada. Criada por Jeff Rake, que tem como inspiração Lost, Manifest é ambiciosa, ousada e competente em seus objetivos.


Acompanhando a vida dos passageiros do vôo 828, mas focado em três personagens na maior parte da temporada. Ben, Michaela e Cal passam a conviver com misteriosos “chamados”. São vozes e imagens que disparam em suas mentes e que os levam a diferentes tipos de situações seja para o bem ou para dificultar ainda mais suas vidas.



O interessante em Manifest é que cada um dos personagens apesar de terem os ditos chamados, possuem suas particularidades. Ben por exemplo ouve menos chamados do que Michaela que por sua vez parece a mais afetada pelas vozes. Os chamados de Cal por motivos ainda desconhecidos são premonições exatas e/ou interpretativas, o que o leva a ser chamado de “Santo Graal”. A série ainda não revelou o porque dele ser chamado assim e quem é a misteriosa mulher chamada de “The Major”. O que não a torna cansativa ou apelativa. Só acrescenta camadas extremamente bem pensadas e torçamos bem planejadas para o futuro. Já sabemos sua identidade, mas quem ela é?



É normal que ela não revele todas as suas cartas. Até por que não faria sentido ser uma série de mistério sem qualquer mistério. E durante a temporada posso dizer que todo episódio tinha uma teoria diferente do que eles eram ou o que tinha acontecido. Eles eram anjos? As vozes são eles do futuro? Eles estão todos mortos (Lost feelings)? Mas não! Nada disso se confirmou. Pode ser que em alguma das minhas teorias eu tenha chegado perto da verdade. Mas não tem como saber. Pelo menos não nesse primeiro ano.


ATENÇÃO SPOILERS!!!
O final de manifest foi de tirar o fôlego e abriu um gancho perfeito para não só um segundo ano. Mas para vários. Inclusive há planos para ela durar até 6 temporadas. E espero que não passe disso. Por mais genioso que seja, esperar que um mistério sobreviva e prenda o público por seis anos é ser muito otimista. Principalmente com a quantidade insana de produções lançadas mensalmente. 



A grande chave e o maior questionamento da temporada era o que eram os passageiros e por que cinco anos? Bom, parte disso foi respondido. 

Com o aparecimento de Zeke, um andarilho que ficou preso numa caverna e um ano depois retornou dos “mortos” e de um homem que passou 82 horas e 8 minutos em baixo d’água para morrer exatamente 82 horas e 8 minutos depois afogado em terra. Ben e sua filha ligaram os pontos e chegaram a terrível e incrível conclusão. Todos afetados por essa anomalia de tempo tem data de expiração. Assim como o homem que morreu afogado, é provável que Zeke morra em um ano. O exato tempo que ele passou na caverna. O que significa que todos os passageiros têm cinco anos e alguns meses de vida. Para ser mais exata. Em 2 de junho de 2024 eles irão morrer (ao que tudo indica). Lembrando que isso pode mudar e pode ser apenas uma das muitas possibilidades. 


A questão agora é descobrir se o prazo de validade deles é real e acredito que se Zeke não morreu na luta com Jared (chegarei nessa parte), ele será basicamente a cobaia dessa teoria. Considerando que a primeira temporada se passa em apenas 6 semanas. O segundo ano deverá ter algum salto no tempo ou desenvolver esse problema entre os passageiros. Com certeza Ben e os outros entrarão em algum dilema sobre se devem contar ou não aos demais sobre o prazo. O que espero não se prolongar demais, se for o caso. Minha aposta é que eles irão contar e mais consequências virão dessa revelação que refletirá nas ações e decisões dos passageiros.



Mas nem só de mistério vive Manifest. As sub tramas são plausíveis e coerentes com a série. Se pensarmos que apenas seis semanas se passaram, é normal que aja muita coisa para se lidar tanto da parte dos passageiros quanto da parte dos que ficaram para trás e seguiram com suas vidas. Michaela e Jared são aquele típico casal que era pra ser mas nunca acontece. E com o passar da temporada algo me levou a perder a simpatia por Jared. Sua explosão de ciúme e possessividade só cimentou minha aversão a ele. Tudo bem que Zeke (sempre que ouço o nome dele me lembro de Guerra Mundial Z) é uma bagunça ambulante. Mas realmente ele não fez nada. E Jared apenas deveria confiar em Michaela. Ele sabe dos chamados, então por que não acreditar que Zeke faz parte disso por mais estranho que ele seja? Não sei se ele irá morrer ou se foi Zeke que levou o tiro. O chamado “pare ele” não revelou qual dos dois Michaela deveria impedir. E terminar a temporada com o barulho de um tiro quase me fez infartar e gritar COMO ASSIM?! NÃO ACREDITO! (ok… eu gritei).

Um ótimo e revoltante final de temporada.


Com a revelação da gravidez de Grace tenho quase certeza que o casamento de Ben irá desmoronar. Claro que ele pode tentar fazer a coisa certa. Ele é esse tipo de cara. Mas não sei se dará certo principalmente diante da novas revelações. 



Por mais que a série tenha deixado milhões de pontas soltas. Ela não te faz de bobo ou te deixa sem respostas. Ela abre mais sua mente para novas possibilidades. E é quase certo afirmar que eles não estão mortos. (Ainda). E se a série for ainda mais longe arrisco dizer que se trata mais do que apenas o retorno dos mortos de um avião. Muito mais. Talvez tudo isso seja um plano maior para impedir algo enorme que irá acontecer dentro desses cinco anos. É aquela básica sentença genérica e funcional. No final, tudo está conectado.
Manifest é obrigatória. É imperdível. É fora da caixa. É para você!


PS: E se no final todos realmente estiverem mortos?
Ou na verdade quem estão mortos são os que ficaram?


PS2: As últimas séries que vi nessa pegada de mistério, e que teve temporadas impecáveis foram 12 Monkeys e The Leftovers. Torço muito para que Manifest siga a mesma excelência.


PS3: Não entendi nada mas virei fã. 


Até a segunda temporada!

Comente aqui!!!!