Resenha sem spoilers | Durante a Tormenta – Quem molda o destino? Nossas ações têm ou não consequências?



O que você faria se tivesse a oportunidade realizar uma mudança impossível por meios “normais”? Se lhe fosse possível mudar o curso de acontecimentos decisivos na sua vida ou na vida de outrem? E as consequências? Deveriam ser pesadas ou “o que vale é a intenção”?


Essas perguntas ficaram pontuando minha mente quando terminei de assistir “Durante a Tormenta” (2018) Espanha. 128 min – Disponível na Netflix.



A história, sem dar muitos spoilers, gira em torno de um fenômeno natural, um assassinato e o desaparecimento de uma criança. Tudo isso se interlaça na direção competente de Oriol Paulo. A fotografia ambienta perfeitamente o clima misterioso e os ângulos de câmera valorizam muito bem as feições e interpretações dos atores.


Vamos à história.


Em 9 de novembro de 1989, a queda do muro de Berlin é noticiada e o pequeno Nico estuda para ser um herói da guitarra, enquanto sua mãe se despede para mais uma noite de trabalho. O garoto é interrompido por um barulho na vizinhaça e acaba descobrindo um assassinato, apenas para morrer atropelado em meio a uma tempestade de raios nunca vista antes.


No instante seguinte estamos em 2014, na precisa data onde descobrimos uma mãe de família começando nova fase em casa recém comprada e muito feliz com sua filha pequena. A relação entre os dois? A mesma tempestade de raios de 1989 se repete em 2014 e será o elo entre a Enfermeira Vera Roy e o garoto Nico Lasarte.



Mais detalhes é estragar a experiência. Claramente baseada em sucesso ianques como “Efeito Borboleta” e “Alta Frequência”, o diferencial da produção espanhola é o foco na humanidade dos personagens. Cada ato, seja ele bom ou ruim, é escrutinado de forma neutra e sem que o diretor tome partido. Deixando a nós espectadores a tarefa de tentar entender as motivações de cada um dos personagens retratados nesse excelente thriller. Nenhum ângulo de câmera é gratuito, a trilha sonora pontua muito bem os picos de tensão e a fotografia é feita com muito esmero.


Pessoalmente, fiquei diante de um filme bom como não via há muito tempo e muito feliz em perceber que o legado dos latinos está muito bem representado em tão primorosa obra da sétima arte. Prestigiem o quanto antes!


A direção e roteiro são de Oriol Paulo, enquanto o elenco é composto por Álvaro Morte, Adriana Ugarte, Chino Darín, Javier Gutiérrez, Clara Segura e Miquel Fernández.

Comente aqui!!!!