Antes mesmo de assistir esse episódio lembro de ter pensando que Hal havia sumido. Mas assim como O rei, Hal retornou e me parece cada vez mais conveniente que ambos coincidentemente somem e aparecem quase que ao mesmo tempo na trama.

Já falei que tudo está conectado e seria realmente ótimo se fosse verdade. Que o Rei, Hal e A fazenda estivessem de alguma forma ligados entre si e toda a temporada que caminhou separada no final colidisse e nos surpreendesse. Seria pedir demais? Será que Riverdale pensou nisso desde o começo?

O tão aguardado encontro de Edgar Evernever e Betty aconteceu. E esperava mais. Foi rápido e careceu de um diálogo mais profundo e dinâmico. Betty pareceu se focar apenas no fato da mãe supostamente ver Charles. Ok. É um grande ponto. Mas não o principal. Mas uma boa direção saiu do encontro de ambos. Edgar confirma que é extremamente carismático e cheio de besteira. Esse papo de árvore, porta e redenção soou tão ensaiado e golpista que chega a ser risível o quão óbvio é. A última vez que senti essa raiva sobre um núcleo foi em The Leftovers (claro, comparar essa obra prima com Riverdale é ser muito pretensioso, mas é o que me vem na cabeça).

Pudemos perceber que as garras da fazenda em Cheryl e Alice são mais profundas do que parece e que a essa altura Betty não sabe mais o que fazer. Meu primeiro palpite (que ainda não descartei) é que seriam drogas. Mas supondo que Alice ficou dois dias no bunker, seria esperado que ela apresentasse sinais de abstinência, o que não foi o caso. Mas finalmente Betty pode ter percebido que a melhor maneira de lidar com A Fazenda é fingindo admitir a derrota.

Enquanto isso, O rei Gárgula retorna a Riverdale e sequestra Jellybean. Trazendo Jughaed de volta para o jogo G&G e atacando a cidade em peso. Ainda me preocupa quem será a pessoa por trás da máscara (principalmente se for quem estou pensando). Mas só podemos esperar e torcer pelo melhor.

Deixe uma resposta