Parabéns para a galera da nova ação… John Wick é tudo que Kingsman deveria ter sido e não foi.

Após assassinar o chefe da máfia Santino D’Antonio (Riccardo Scamarcio) no Hotel Continental, John Wick (Keanu Reeves) passa a ser perseguido pelos membros da Alta Cúpula sob a recompensa de U$14 milhões. Agora, ele precisa unir forças com antigos parceiros que o ajudaram no passado enquanto luta por sua sobrevivência.

A franquia que aqui no Brasil teve que ser rebatizada (no Brasil John Wick 1 foi nomeado aqui de “De Volta Ao Jogo”) tem seu MAIOR capítulo aqui. Parabellum é inacreditavelmente grande, exagerado e uma expansão de mitologia como poucas franquias se preocupam em fazer.

Aqui tudo é apressado e de um jeito certo, não se pode perder tempo. O filme te sufoca para sentir o que o personagem sente: Não tem descanso, não tem pausa e não tem sossego. A ação chega logo, a história desenrola facíl, aqui ao contrário de outras franquias a pancadaria e o tiroteio são a espinha que desenrola tudo.

Como falei a mitologia do filme é expandida de uma maneira inacreditável. Essa é uma franquia que está pronta para o comercial e com toda certeza tudo foi friamente calculado. Pode ter série sobre o hotel de Nova Iorque (essa está para ser confirmada e com o nome de “Continental”), pode ter uma série sobre outros assassinos, sobre a Halle Berry, sobre a máfia russa, sobre o Casablanca, sobre a Alta Cúpula, sobre o Baba Yaga… Cara tem tanta coisa nesse filme e NADA é pura e simplesmente para aparecer. Tudo tem sua função, tudo é orgânico. A sensação é que a cada morte, cada bala, é uma gota que vai enchendo um copo que quando se acha que está no limite, ele desemboca em um balde e esse balde cai em uma piscina e por aí vai.

A fotografia de todos os filmes sempre nos presenteiam com cenas que podem facilmente ser seu novo papel de parede ou tela de bloqueio do celular. A direção é muito ágil, direta, com planos que fazem tudo ser entendido em meio a chuva de balas, vidros quebrados, fogo e cachorros. Tudo é claro e sem cenas escurecidas para favorecer algo mal feito. Talvez aqui como tudo vai muito no visual as atuações ficam um pouco de lado, mas de novo, tudo é tão bem feito que as canastrices são uma parte vital do filme. É um brega bonito.

“Se você quer paz, prepare-se para a guerra” e digo mais, se você quer ação, prepara-se para Parabellum.

Dirigido por Chad Stahelski (RED 2) e o elenco conta com Keanu Reeves (Matrix), Halle Berry (Kingsman 2), Asia Kate Dillon (Orange is The New Black), Ian McShane (Hellboy), Robin Lord Taylor (Gotham) entre outros o filme estreia no Brasil dia 16 de maio de 2019.

NOTA: 4.25/5

Deixe uma resposta