Cinema Crítica

#mostrasp | Bellingcat – Jornalistas investigativos por acidente

O século 21 pode estar sendo o momento mais difícil para o jornalismo. Com a chegada das mídias sociais no início dos anos 2000, a corrida pelo furo ficou mais acirrada e a era da pós-verdade, onde o fato tem menos relevância do que crenças e sentimentos fez com que a imprensa no mundo tudo entrasse em uma crise. Para piorar, as instituições jornalisticas procuram não manchar sua reputação ou criar problemas com governantes, impedindo que sua audiência tenha acesso a realidade de maneira honesta. Para fazer o trabalho “sujo” do jornalismo e investigar grandes eventos, casos de corrupção e tragédias, surge o Bellingcat, site fundado pelo jornalista britânico Eliot Higgins focado na verificação de fatos e inteligência de código aberto.

Tendo investigado momentos como a queda do voo 17 da Malasya Airlines e uso de armas letais na Síria, o Bellingcat checa fatos e procura por evidências utilizando apenas informações públicas, em sua grande maioria publicadas na internet. Assim, foi possível localizar neonazistas que espancaram um garoto negro em Charlottesville (EUA) e entregar relatórios provando que a Rússia foi a responsável pela queda do avião que saia de Amsterdam em direção à Ucrânia em 2014. Para explicar melhor o trabalho do Bellingcat, Hans Pool, consagrado documentarista holandês, acompanhou o trabalho da equipe investigativa compilando tudo no documentário “Bellingcat: A Verdade Em Um Mundo Pós-Verdade”.

A maior reflexão oferecida por este filme é como confiamos em grandes marcas do jornalismo por sua credibilidade institucional em uma época onde a checagem de evidências é caótica por falta de profissionais capacitados já inseridos no mercado e o constante corte de verba. Bellingcat não deixa passar detalhes e não se conforma com versões governamentais. Diferente do jornalismo tradicional, incentiva a investigação e a validação de informações. O documentário reforça o posicionamento adotado pelo site mostrando como não podemos confiar em tudo que lemos.

Em tempo de fake news e pós-verdades, é preciso estar atento nas informações que consumimos. A disruptura do jornalismo convencional surge junto com coletivos e movimentos como Bellingcat, The Intercepct e WikiLeaks. Independente de ter fontes vazadas, suspeitas ou transparentes, o importante é a verdade vir à tona. Bem que eles poderiam vir colocar sinos nos gatos brasileiros né?

“Bellingcat: A Verdade Em Um Mundo Pós-Verdade” estará disponível na 43º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Comente aqui!!!!