Cinema Crítica

#mostrasp | Viver Ilesos – A jornada do anti-herói

O que leva alguém a se tornar bandido? Seria esse esta pessoa uma vítima da sociedade ou alguém que já nasce com uma índole invertida? O longa peruano “Viver Ilesos” propõe o debate sobre o papel do vilão e da vítima usando o cinema como reflexo da vida real. No enredo, dois golpistas são sequestrados e torturados após tentar enganar um sujeito abastado.

Manuel Siles, diretor de “Viver Ilesos”, sempre acrescenta sua ideologia política nas obras que desenvolve. Em nossa conversa pergunto se ele não teme uma reação negativa do espectador e recebo a resposta que em seus filmes sempre haverá seu posicionamento, pois acredita que arte é uma forma de mudança social e política. O filme expõe as camada de opressões, como praticamente um sistema de castas, onde no topo (é claro) reside o homem branco heterossexual e cheio da grana.

Para Siles, o filme é uma simbologia da realidade. Apesar de gostar da dualidade entre o bem e o mal, como Luke Skywalker e Darth Vader, o peruano prefere traçar um perfil mais fidedigno ao mundo real onde a linha entre o cara mau e o mocinho é mais tênue. Aproveito a referência hollywoodiana e pergunto se ele já havia assistido “Coringa” – o filme derivado do famoso vilão dos quadrinhos – e se o seu longa e o de Todd Phillips seguiam a mesma linha. A resposta é dúbia: sim e não. Manuel diz que antes de julgar alguém é preciso saber quais são as circunstancias por trás desta pessoas e por isso acredita que as obras possam se assemelhar. Nesta hora, Magalý Solier, a “coringa”, digo, a Lucia de “Viver Ilesos” chega à mesa e se junta a conversa. Questiono sobre como ela enxerga as cenas de violência física, sexual e psicológicas que sua personagem sofre e para ela o filme aborda problemas presentes no mundo todo e o trunfo é a resposta de como solucionar.

Não trazendo grandes novidades e nem impressionando com técnica, “Viver Ilesos” se limita em entregar reflexões e boas interpretações. Elogio Magalý por sua atuação e questiono se ela conhece alguma coisa do cinema brasileiro e a resposta é quase óbvia: cinema não, mas as telenovelas!!! Disse que adoraria trabalhar em alguma novela brasileira e eu concluo: “vamos fazer acontecer”.

“Viver Ilesos” será exibido na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Comente aqui!!!!