Cinema Crítica

#mostrasp | O Desejo de Ana – A re-normalização do incesto

A melhor parte de cobrir a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo é poder sentar e conversar com os idealizadores de filmes do mundo inteiro. De todos os bate-papos, o de longe mais enriquecedor foi com a equipe de “O Desejo de Ana”, filme do mexicano Emilio Santoyo. No longa a personagem Ana e seu filho vêem sua rotina mudar ao receber a visita de Juan, irmão da protagonista. O que ninguém espera é que a presença do hóspede desencadeie em um romance incestuoso.

Diferente da maioria de obras audiovisuais, “O Desejo de Ana” não carrega nenhuma culpa em abordar um tabu como a relação de desejo entre irmãos. Santoyo defende que a ideia principal era contar uma história sobre incesto sem a perspectiva ética e moral: “Se vocês perceber, na cultura ocidental, todas as histórias que retratam incesto, acabam com os personagens envolvidos na relação sendo punidos. São poucas as historias que não permitem o julgamento dos personagens ou as que não os punem”. A produtora e assistente de direção Valeria Ariñez lembra como que o incesto se tornou moralmente inaceitável: “Não foi por motivos biológicos, foi pro uma questão de troca. ‘Eu te ofereço minha filha para casar com seu filho e assim juntamos nossas posses’ e por isso começaram a proibir casamentos entre irmãos.

Apesar de ser dirigido por um homem, o filme possui um ponto de vista bastante feminino. Segundo Ariñez, a equipe de filmagem era composta majoritariamente por mulheres que ajudaram a direção a seguir o caminho mais adequada. Em uma das cenas, Ana está em uma relação sexual com seu noivo mas não parece estar curtindo o momento até que o rapaz atinge o orgasmo e se direciona ao banheiro para tomar banho; sem parecer se importar Ana começa a se masturbar até atingir o clímax. Laura diz que foi interessante gravar a cena pois todas as mulheres no set acabavam discutindo como seria a maneira que Ana deveria se satisfazer. A atriz lembra de ter sugerido um momento de prazer na vida da personagem assim que fez a primeira leitura do roteiro. Esse clima de colaboração imprime nas telonas um resultado incrível, plástico e de desenvolvimento de roteiro.

A temática do desejo proibido (já explorado por Emilio e Valeria no “El Perfecto Ausente“) deve ganhar mais dois filmes e se tornar uma trilogia de longas.

“O Desejo de Ana” está em exibição na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Comente aqui!!!!