Cinema Crítica

#mostrasp | O Paraíso Deve Ser Aqui – Simbolicamente cômico

Após uma menção honrosa em Cannes e ser tornar a indicação da Palestina para o Oscar 2020, “O Paraíso Deve Ser Aqui” chega em São Paulo para a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. No filme, o cineasta palestino Elia Suleiman sai de sua cidade natal em busca de um novo lar porém em todos os lugares é surpreendido por lembranças de casa.

Constantemente comparado com Buster Keaton, por sua comédia melancólica e silenciosa, Elia Suleiman – além de dirigir – é a estrela do filme entregando uma interpretação baseada simplesmente em expressões faciais e corporais dizendo pouquíssimas palavras durante os 100 minutos do longa-metragem. Suleiman cumpre a difícil missão de trazer o mudismo cômico para o segundo milênio. Ei Mr. Bean, você já pode dividir a coroa! rs

Passando por Paris e Nova Iorque, a câmera de Elia nos leva a uma jornada onde seu ego palestino enxerga a cultura parisiense e estadunidense com olhos únicos e assim nos proporciona risadas tímidas enquanto assistimos uma caricatura do ocidente. Durante o filme, Elia passa por diversos constrangimentos e sua forma de revidar é tirando sarro descarado dos franceses e dos norte-americanos devolvendo o momento de constrangimento para o público. De fácil consumo e divertido, “O Paraíso Deve Ser Aqui” é uma resposta bem humorada do oriente à cultura ocidental.

“O Paraíso Deve Ser Aqui” está sendo exibido na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Comente aqui!!!!