Cinema Crítica

Crítica: Os Parças 2 – Como a comédia brasileira evolui referenciando passado?

É um pouco difícil para eu, garoto nascido no final dos anos 90, entender o apelo de Renato Aragão e Os Trapalhões. Apesar de ser uma unanimidade, Didi Mocó não causa muito impacto na minha geração. Humor corporal, palhaçadas e quiproquós até nos tiram algumas risadas, mas honestamente? estamos presos na arrogância do humor intelectual e cada dia mais satisfeitos com a auto depreciação e piadas sobre os desastres sociais, naturais e filosóficos que o mundo do segundo milênio nos oferece. Que baita besteira! Por isso que de vez em quando nos colocamos em maratonas de Chaves, pausamos o filme conceito pra ver Mr. Bean e conseguimos um respiro pra rir de Renato e sua trupe interpretando Teresinha na voz de Maria Bethânia.

Pensando nestes momentos raros na vida do millennial chato intelectual, é lançado “Os Parças 2”, reunindo Tom Cavalcante, Whindersson Nunes, Tirulipa e Bruno de Luca. Com claras referências em um humor do passado e tipicamente brasileiro, o longa tem direção de Cris d’Amato e dá sequência ao filme original lançado em 2017. Se antes o filme tinha um apelo mais adulto, agora a “franquia” visa atingir o público mais jovem e abusam de linguagem teen com um elenco repleto de adolescentes.

É nítida, e confirmada, a referência de Os Trapalhões. A tentativa ousada em se inspirar em um dos maiores fenômenos do humor brasileiro é uma saída interessante para a reciclagem do estilo estagnado de Cavalcante e Tirulipa. Somando com a relação que Whindersson possui no meio digital, os três atores conseguem superar a catástrofe geral que foi o primeiro “Os Parças”. O personagem de Bruno segue sendo escada para os humoristas.

Eu poderia meter o pau no roteiro sem sentido, nos clichês românticos e romantizados, além de outros infortúnios. Mas que idiota seria eu em criticar pontos tão comuns na comedia pastelão do nosso país. Essas características já viraram nosso patrimônio cultural. É nítido que o filme não foi feito por motivação artística mas está voltado para marketing e bilheteria, surfando na onde do youtuber mais popular do Brasil. Mesmo assim, “Os Parças 2” não promete e acaba cumprindo, um desenvolvimento tamanho desde a primeira obra, momentos de risadas e o mais importante: a adequação de humor chulo e excludente sem perder características de personagem e nem a essência do humor brasileiro.

“Os Parças 2” não é um erro, nem acerto. É um passo da evolução do cinema de publicidade brasileiro. Eles podem até arrancar o dinheiro do fã clube de Whindersson Nunes e Tirulipa, mas dessa vez farão de uma maneira menos pior. Quem sabe “Os Parças 3” não chegue como uma obra-prima? rsrsrs

“Os Parças 2” começa a ser exibido no dia 14 de novembro, tendo sua estréia oficial no dia 28 de novembro.

Comente aqui!!!!