Crítica | A Chance de Fahim – Filme expõe crise migratória na França

Fahim Mohammad nasceu em Bangladesh, nos anos 2000, e já se tornou uma lenda do Xadrez Profissional. Sua família foi perseguida enquanto moravam em Daca e por isso solicitaram asilo político na França onde se profissionalizou e venceu diversos campeonatos de xadrez. Com uma trajetória tão comovente, o diretor Pierre-François Martin-Laval resolveu contar a história do garoto bengalês no filme “A Chance de Fahim” que chega em janeiro no Brasil.

O longa se inicia ainda em Bangladesh e a partir daí acompanhamos uma jornada cheia de obstáculos. A primeira etapa a ser vencida é a imigração entre o país de origem e a Índia, que apesar da relação governamental amigável, ainda disputam por terras nas fronteiras. Pierre não se intimida e mostra como a corrupção pode facilitar neste momento. Embora seja uma produção francesa, a obra retrata outros países de uma forma não muito positiva. Após chegar em Paris, o pai de Fahim solicita asilo político, mas é sabotado por outro indiano, em uma prática que aparenta ser comum na Europa. Assim “As Chances de Fahim” reforça o coro xenofóbico francês, por maior que seja o apelo pró-imigração da trama principal.

As escolhas erradas não terminam no roteiro. O casamento entre planos e trilha desequilibram o resultado e não permite a emoção acontecer da maneira como deveria. O melodrama perde força na maior parte do tempo deixando poucas cenas bem executadas. Destaque positivo vai para o momento em que a diretoria do clube de xadrez Mathilde – interpretada por Isabelle Nanty – consegue ligar para o presidente da França e questioná-lo sobre o país ser a terra dos direitos humanos. O momento é o mais sensível e o conjunto da obra cumpre o papel de emocionar a audiência.

Deixando todos os problemas de lado, “As Chances de Fahim” pode ser categorizado como um bom filme “sessão da tarde”. Distante de grandes obras do cinema francês, o longa ainda tem seu mérito de entreter e ilustrar a crise migratória que vive a Europa.

“A Chance de Fahim” estreia dia 06 de Fevereiro nos cinemas.

One thought on “Crítica | A Chance de Fahim – Filme expõe crise migratória na França

Comente aqui!!!!