REVIEW |Riverdale – Mid Season (c/spoilers)

Riverdale chuta o balde e abraça de vez o lado sombrio!

Poderia ser uma notícia sensacionalista. Mas infelizmente não é. Aparentemente aprender com os erros não faz parte do crescimento da série. É certo dizer que como em muitas séries, quantidade não é igual a qualidade.

Riverdale em suma é uma boa série teen. Mas na tentativa de ser algo mais, de ser diferente, acabou caindo em uma roda viciosa onde não parece saber como sair.

Mas abraçar o lado sombrio não é fórmula para o sucesso. Riverdale não é Supernatural e muito menos Gossip Girl. Ela não é The OC ou Euphoria. Riverdale não sabe quem é. Mesmo que Katy Keene e Sabrina se passem no mesmo universo de Riverdale. Não faz sentido o caminho que a série tomou, tendo em vista o quão diferente elas são entre si.

Riverdale perdeu seu caminho na 3° temporada. Mas tudo começou a dar errado quanto The BlackHood foi introduzido. Foi no desfecho do segundo ano que sinais de má escrita e pobre execuções começavam a dar sinal de vida. O que sustenta a série atualmente são os atores que fazem milagre com o que lhes é dado.

Mas vamos recapitular um pouco o que aconteceu até essa mid season.

Os quatro amigos ainda continuam a levar vidas separadas. Os roteirista insistem em manter o melhor de Riverdale em segundo plano, o que estou longe de entender o porquê.

Betty agora ao lado do seu irmão, Charles, segue em busca de uma carreira na academia do FBI. Mas a falta de criatividade ou mesmo o excesso de liberdade dada aos criadores da série permite que seja possível uma adolescente participar ativamente de uma investigação do FBI e desarmar sozinha uma bomba. Por que? Oras, porque não? Afinal, é Riverdale. A cidade onde tudo de ruim acontece e ninguém para pra pensar se tem algo de muito errado nisso.

Riverdale me parece fazer parte de uma anomalia gravitacional onde todo serial killer do mundo é atraído para cidade.

Um do mistérios da temporada são as fitas deixadas na porta dos moradores de Riverdale com horas e horas de filmagens de suas casas. O que me parece cada vez mais obra de Charles. Ele é meu principal suspeito. Mas conhecendo Riverdale pode muito bem ser Pops.

Já Veronica parece ser um personagem que deixou de evoluir. Presa nesse drama familiar eterno, tudo que acontece com ela episódio após episódio, nós já vimos antes. Ela briga com o pai, eles lutam entre si, se ajudam em algum ponto e depois voltam a brigar. É tedioso, irritante e já passou da hora de Hiram morrer.

Archie. Ah, Archie. O que dizer do Ruivo mais mal construído de toda a TV? Os roteiristas não sabem o que fazer com ele. De ser um menino estrela para acabar sendo um vigilante e lutador de box. O que aconteceu? Como fazem uma temporada inteira com ele tentando pegar o homem que atirou em seu pai e matou dezenas de pessoas e agora ele simplesmente usa uma máscara como o assassino? Parece brincadeira, mas não é. A coisa mais absurda que você ouvir sobre Riverdale, provavelmente é verdade.

Cheryl vivendo com o corpo mumificado do irmão? O que estão pensando? E Toni que não tem fala alguma e só aparece pra sorrir e fazer careta com as loucuras de Cheryl?! O núcleo mais desperdiçado da série de longe.

Por fim, Jughead mantém sendo o personagem mais coerente da série. Mesmo que ele seja o foco principal do mistério desse ano. Sua própria morte. Assassinado por seus amigos. Ou para ser mais exata, Betty. Não acredito que irão matar um dos personagens principais. Seria um tiro no pé e eles não são tão estúpidos. Acredito que tudo será parte de um plano orquestrado por ele mesmo para desvendar o mistério que cerca a escola.

Riverdale chega a sua mid season com muitos furos e insistindo em seus erros. Mas deixa de lado o sobrenatural do terceiro ano o que já conta como algo positivo. A série retorna nessa quarta, dia 22 de Janeiro.

Comente aqui!!!!