Cinema Crítica Review

DICA DE QUARENTENA | Secreto e Proibido – Documentário mostra romance lésbico iniciado na década de 40

A chegada de Ryan Murphy na Netflix prometia bom conteúdos televisivos. O grande showrunner estadunidense foi responsável por sucessos passados como “Glee” e “Nip/Tuck”, e atualmente comanda as séries “American Horror Story”, “American Crime Story” e “Feud”. Na Netflix, Ryan já estrou The “Politician”, programa estrelado por Ben Platt, Gwyneth Patrol e Jessica Lange. Agora, Murphy estreia o documentário “Secreto e Proibido” produzido por ele e dirigido pelo novato Chris Bolan. O filme conta a história de um casal lésbico que estão juntas a mais de 70 anos. As dificuldades em ser LGBT no século passado e problemas que chegam com a velhice são o ponto central do longa.

Terry Donahue e Pat Henschel se conheceram na década de 40 e a partir daí viveram um romance escondido. Disfarçadas como primas, Pat e Terry dividiram uma vida em segredo, revelando o amor mútuo para seus colegas e familiares recentemente.

O retrato de um relacionamento afetivo entre pessoas gays na terceira idade é escasso no cinema e na televisão, principalmente ao se tratar de uma relação entre duas mulheres. “Secreto e Proibido” delineia esta história de forma cuidadosa. Não se trata em apenas duas senhoras lésbicas, mas de um matrimônio entre dois seres humanos de 90 anos. Mostrar as adversidades em ser queer durante os anos 40 (e 50, 60, 70…) não é a única preocupação de Bolan e Murphy. Problemas ocasionados pela velhice, como saúde e solidão, completam a narrativa do documentário trazendo uma bifurcação interessante na trajetória de Donahue e Henschel.

Se fala muito sobre como tribulada era a vida de um jovem gay no século passado. A revolta de Stonewall se torna cada vez mais popular ao longo dos anos e assim aprendemos muito sobre a luta de jovens mulheres transexuais e homens gays. Mas onde as lésbicas se enfiam nessa história? Um ponto que me satisfez ao assistir “Proibido e Secreto” foi a exposição de revoltas e protestos em bares lésbicos em reação às batidas policiais que chegaram a prender mais de 90 meninas em uma noite. Protestos esses que aconteceram antes mesmo das famosas revoltas em Nova Iorque. Mulheres… Sempre a frente dos homens!

Apesar de viverem na mesma casa por décadas, Terry e Pat não tinham o direito de se casar até alguns anos atrás. Por que diabos um casal de 90 anos que compartilhou a vida inteira iria querer consumar a relação com um casamento já no “final” de uma trajetória. A ideia divide opiniões entre as duas, mas é novamente um acerto do documentário que expõe o embate criando uma jornada a respeito do tema.

É fundamental que histórias como essa surjam em épocas onde o ativismo LGBT no mundo ocidental avança com o passar do tempo. É preciso normalizar o gay idoso pois essa será a realidade uma grande parte da população num futuro não muito distante. Quem resistiu à homofobia, ao genocídio queer e à epidemia da AIDS são sobreviventes que merecem nosso respeito. Precisamos conhecer essas histórias e entender que antes de nós tiveram heróis e heroínas que lutavam de cara limpa ou mascaradas.

“Secreto e Proibido” está disponível no catálogo da Netflix.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s