Para quem está esperando mais um filme da sequência de John Wick, fique sabendo que a história do personagem de Keanu Reeves quase foi bem diferente. Isso porque, lá no primeiro filme, o protagonista tem a mote de seu cão como fator para começar uma vingança. Mas essa morte quase não aconteceu!

É verdade, os produtores do filme relutaram em colocar a morte de um cachorrinho como motivo para John Wick se tornar uma máquina mortífera.

No entanto, os diretores Chad Stahelski e David Leitch resolveram colocar o plot, como forma de amolecer o coração do protagonista, que já seria um frio assassino durante todo o filme.

Derek Kolstad falou sobre a escolha que ajudou na construção e John Wick. “Mas sem essa conexão de cachorro e sem a alma subjacente e os batimentos cardíacos desse personagem, e também a leveza que ele traz ao personagem e a leveza que ele traz ao humor, isso foi fundamental. Em certos momentos, Chad e Dave, eles lutaram por isso, eles conseguiram e estavam certos. Eles continuaram a lutar pelo modo como veem certas histórias sendo exibidas em outros lugares. Eles se deram muito bem com isso. Eles são caras talentosos.”.

A escolha deu certo e o público se simpatizou com a causa de John Wick. Mais do que isso, o filme foi um sucesso e está indo para o quarto longa, ou seja, parece que o cachorrinho fez toda a diferença na imagem assassina que Keanu Reeves passou.