Série de “The Last of Us” irá expandir a história do jogo, segundo produtor

Craig Mazin, criador de Chernobyl, está desenvolvendo o projeto da adaptação de The Last of Us para série da HBO, ao lado de Neil Druckmann, diretor do jogo original. Na história, Joel recebe a missão de contrabandear a jovem Ellie, que pode ser a chave para a cura de uma pandemia mortal em um mundo pós-apocalíptico, tendo que atravessar os EUA juntos e dependendo um do outro para sobreviver.

Em entrevista à BBC, Mazin garantiu que não pretende modificar a história do jogo, mas sim expandi-la. “Eu acho que fãs costumam se preocupar, quando uma propriedade é licenciada para outra produtora, que as pessoas não vão entendê-la, ou vão mudá-la. Neste caso, eu estou adaptando com o cara que fez o jogo, então as mudanças que estamos fazendo são planejadas para preencher certos espaços, ou expandir a história, não desfazer, mas melhorar”.

Ele ainda acrescentou que, apesar do desafio, o projeto é um sonho que está se tornando realidade. “Nós estamos criando algo novo e reimaginando o que já está lá para apresentar um formato diferente. É um sonho para mim. Mas eu estou com um pouco assustado, porque muitas das emoções conectadas a esse jogo são bem intensas. Eu provavelmente vou me esconder em um bunker depois, porque não dá pra fazer todo mundo feliz”.

Ainda sem previsão de estreia, a série de The Last of Us é uma coprodução com a Sony Pictures Television em associação com a PlayStation Productions, e que tem Carolyn Strauss como produtora executiva, ao lado da desenvolvedora do jogo, Evan Wells.