Crítica

CRITICANDO: TENET – Promessa ambiciosa, produto nem tanto

O filme promete muito mais do que entrega mas não deixa de ser uma boa diversão no meio desse caos.

Um agente da CIA conhecido como O Protagonista (John David Washington) é recrutado por uma organização misteriosa, chamada Tenet, para participar de uma missão de escala global. Eles precisam impedir que Andrei Sator (Kenneth Branagh), um renegado oligarca russo com meios de se comunicar com o futuro, inicie a Terceira Guerra Mundial. A organização está em posse de uma arma de fogo que consegue fazer o tempo correr ao contrário, acreditando que o objeto veio do futuro. Com essa habilidade em mãos, O Protagonista precisará usá-la como forma de se opor à ameaça que está por vir, impedindo que os planos de Sator se concretizem.”

Quando falamos de Nolan os conceitos sempre vêem a mente: Batman realista (odeio esse), inserção (o sonho dentro do sonho de A Origem) e buraco de minhoca e distorção do tempo (Interstelar). Em TENET somos apresentados ao conceito da reversão temporal. Não é uma viagem no tempo, é uma volta no tempo, algo que parece extremamente complexo porém nem tanto, literalmente tudo anda pra trás e você pra frente como o próprio nome sugere.

Nolan sempre teve em seus filmes o cuidado de tratar o espectador como alguém incapaz de deduzir coisas e esse filme é a pura exposição de conceitos, se explicando a cada 5 minutos, todo novo personagem corrige o anterior com uma adição, mas nunca sem antes contar TUDO de novo.

O Protagonista é um personagem que atua como a própria presunção de Nolan: É misterioso, parece muito agressivo e preparado para tudo e seu final é previsivel em um plot twist completamente simples.

Não me entendam mal, TENET consegue ótimas sequências de ação, prende a sua atenção NO COMEÇO. Seu final tenta, mais no visual do que no enredo em si ser mais atraente, mas a história cansa pelo excesso de recontagem de todo o processo. A cada nova adição os personagens vão ficando mais caricatos e literalmente o filme se pergunta “vamos conseguir mudar tudo?” e ele mesmo te responde “não tá de boa”.

As atuações estão de acordo com o filme e cada designação: John David é o protagonista durão, que sem dúvidas entra em sua jornada, mesmo sem saber ao certo qual ela é. Robert Pattinson é o “nerd” que te explica tudo. Elizabeth Debicki é um misto de donzela em perigo e um artifício de potencial VDM (Vai Dar Merda). Kenneth Branagh entrega o típico vilão russo do 007, ele é ruim por ganância e é simples assim.

O filme é inteiramente filmado em IMAX, trás toda uma experiência visual muito interessante e acompanhando os conceitos do Nolan vale notar que o filme te trás um desconforto real a cada briga, cada cena de ação em sua trilha sonora que toca a todo tempo ao contrário causando um estranhamento que no final das contas acaba sendo bem bacana e imersivo para o que ele propõe.

Quem for esperando um novo Interestelar vai se decepcionar certamente, quem for esperando um novo A Origem pode até curtir, apesar do filme ter bem menos ação que o citado.

TENET significa início e no momento que nos encontramos como sociedade, não é um início ruim para tirar nossa cabeça dos problemas fora do cinema.

Dirigido por Christopher Nolan (A Origem) e o elenco conta com John David Washington (Infiltrado na Klan), Robert Pattinson (The Batman), Kenneth Branagh (Dunkirk), Elizabeth Dibick (As Viúvas) entre outros o filme estreia dia 29 de Outubro de 2020.

NOTA: 3.75/5

Escrito por: Felyppe Merick

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s